Toyota Prius: em breve para brasileiros

Toyota Prius (foto: divulgação)

Em outubro do ano passado, a Toyota confirmou o início das vendas aqui, a partir do segundo semestre de 2012, do seu modelo híbrido Prius. Lançado em 1997, ele foi o primeiro veículo desse tipo produzido em grande escala e já contabiliza 2,3 milhões de unidades comercializadas em todo o mundo, das quais um milhão apenas nos Estados Unidos.

Para começar a apresentar o Prius aos brasileiros, a Toyota trouxe antecipadamente 15 exemplares, para exposição em concessionárias estratégicas nas principais cidades do País. Os automóveis também estão sendo cedidos para test drive de imprensa e Automotor pôde avaliar o híbrido japonês durante uma semana.

A grande atração, como não podia ser diferente, é seu sistema de propulsão, que combina um motor a gasolina de 1.798 cm3, com quatro cilindros, e um elétrico de 650 Volts. Juntos, eles produzem 136 cv de potência. A transmissão continuamente variável, com infinitas relações de marcha, é o complemento ideal para esse conjunto motriz.

O foco do Prius é a eficiência energética, em outras palavras, economia de combustível. E durante o período de avaliação ele mostrou a que veio: sua média foi de 20 km/l – detalhe, rodando em trajetos urbanos movimentados, o conhecido “anda e para” porto-alegrense, e também em estrada de serra, em viagem até Gramado.

Para quem tem alguma dúvida a respeito da capacidade de um veículo híbrido, o Prius é esclarecedor. Embora não tenha desempenho de esportivo, o que não é sua proposta, ele atende muito bem às necessidades normais de um motorista comum.

Toyota Prius (foto: divulgação)

Mesmo nos trechos íngremes de subida da serra para Gramado, o Prius desenvolveu bom pique. Na cidade, uma característica da propulsão elétrica exibiu seu valor: o fornecimento quase instantâneo de torque, permitindo arrancadas rápidas. A sincronia harmoniosa entre o motor a combustão e o elétrico impressiona.

O Prius também conta com a tecnologia conhecida como “KERS” ou freio regenerativo. Quando o veículo desacelera ou o freio é acionado, o motor elétrico funciona como um gerador, convertendo a energia cinética em energia elétrica, carregando tanto a bateria híbrida quanto a convencional do Toyota.

Toyota Prius (foto: divulgação)

O motorista tem à sua disposição quatro modos de condução, selecionados em botões no console central. No “Normal”, o sistema de gerenciamento alterna o uso dos dois propulsores de forma automática.

Ao pressionar o botão “EV”, com o Prius completamente parado, é ativado o modo 100% elétrico. Esse funciona somente a baixas velocidades, até 40 km/h, voltando ao “Normal” automaticamente quando esse limite é excedido ou o motorista pisa fundo no acelerador.

O modo “ECO” modera a pressão no acelerador e, ao mesmo tempo, reduz o poder do ar-condicionado, visando a um consumo ainda menor de combustível. Por fim, o modo “Power” modifica a resposta do carro, intensificando a potência e o desempenho.

Com seu design incomum e tecnologia também, o Toyota Prius chamou bastante atenção pelas ruas. Ele não é exatamente bonito, porém agrada pela “personalidade” inconfundível.

No interior do modelo, o estilo é futurístico. Principalmente por causa do “Eco-Monitor”, visor digital que mostra em tempo real o funcionamento do motor elétrico, o fluxo de energia despendido e a recuperação de energia nas freadas, entre outras informações.

A tecnologia não fica restrita à propulsão do Prius. Ele vem com freios ABS com distribuição eletrônica de força, controle de tração e estabilidade e assistência à frenagem. Três air bags frontais (para motorista, passageiro e para os joelhos do condutor), dois air bags laterais para os passageiros dianteiros e dois air bags de cortina protegem os ocupantes.

Fonte: Jornal do Comércio RS

Nenhum comentário:

Mais Vistos