Pimentel admite na França avanço de programa para carros elétricos

Ministro do Desenvolvimento propõe parceria entre os dois países no setor automotivo

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Fernando Pimentel, admitiu durante visita à França o avanço das tratativas para implementar um programa específico para carros elétricos no Brasil e que o País está disposto a buscar parceiros para esta iniciativa:

“Estamos em vias de lançar um programa nacional para veículos elétricos e poderíamos construir uma estratégia conjunta com a França”, afirmou Pimentel, após sua reunião com o ministro da Recuperação Produtiva da França, Arnaud Montebourg, na noite da quarta-feira, 6, em Paris.

O ministro francês também manifestou o interesse de seu país em uma sociedade: “Estamos em busca de parceiros mundiais e o Brasil é uma opção”, disse Montebourg. Além do setor automotivo, os dois representantes discutiram sobre possíveis parcerias também nas áreas de energia renovável e informática, informa comunicado do MDIC.

A visita de Pimentel à França continua na quinta-feira, 7, quando ele se reúne com a ministra de Comércio Exterior do país, Nicole Bricq, para tratar de um acordo comercial entre Mercosul e União Europeia.

PROGRAMA PARA CARRO ELÉTRICO
Um programa de incentivos para facilitar a vinda em maior escala de carros elétricos no Brasil é um pleito da Anfavea, associação das montadoras de veículos no Brasil, que desde abril, quando o novo presidente da entidade, Luiz Moan, assumiu o posto, já se reuniu com o ministro Pimentel pelo menos duas vezes para tratar da proposta.

Em sua proposta, a Anfavea sugere um programa de três fases: a primeira consiste em importar esses veículos sem imposto para venda no mercado nacional a um preço mais acessível ao que é hoje. A segunda fase prevê a nacionalização de tecnologias por empresas que pretendem continuar com esse pacote de incentivos em um nível ainda não determinado. Por fim, a proposta incentiva a montagem de híbridos e elétricos no Brasil. Ainda há uma vertente do projeto que defende estudos para o uso de células de combustível a partir do etanol no País.

Fonte: Automotive Business

Nenhum comentário:

Mais Vistos