Mercedes coloca tecnologia da Tesla sob o capô para perseguir BMW

A união deverá ajudar a Mercedes a transferir parte da aura hipster da pioneira dos veículos elétricos para o Classe B, evitando a armadilha de investir bilhões em uma tecnologia que poucos podem querer comprar. 

Mercedes-Benz Classe B Elétrico

O primeiro carro elétrico popular da Mercedes-Benz tem tecnologia da Tesla sob o capô, embora não o alardeie. Diferentemente da Bayerische Motoren Werke, que envolveu seu modelo concorrente livre de emissões com a futurística fibra de carbono, a Mercedes, uma unidade da Daimler, colocou motor elétrico e bateria dentro de seu já existente hatchback estilo van Classe B. As únicas pistas de que o carro é elétrico são um par de pequenos adesivos e a faixa azul nos espelhos e na grade dianteira.

A união com a Tesla Motors deverá ajudar a Mercedes a transferir parte da aura hipster da pioneira dos veículos elétricos para o Classe B, evitando a armadilha de investir bilhões em uma tecnologia que poucos podem querer comprar. Se a estratégia repercutirá entre os consumidores que querem ser parte da vanguarda automotiva é outra questão.

“O Classe B elétrico é uma solução de baixo custo e de baixo risco para a Daimler”, disse Stefan Bratzel, diretor do Centro de Gestão Automotiva da Universidade de Ciências Aplicadas, em Bergisch Gladbach, Alemanha.

Como o Classe B compartilha uma linha de montagem com as versões a gasolina e a diesel, a Mercedes não precisa vender uma quantidade fixa de veículos para cobrir seus custos, disse Bratzel.

“Você pode dizer perfeitamente que hoje ninguém fabrica um veículo movido a bateria economicamente viável por seus próprios méritos”, disse o CEO da Daimler, Dieter Zetsche, em 27 de outubro, em um evento na ilha espanhola de Mallorca para apresentar o Classe B elétrico a jornalistas. “As fabricantes não verão, em um espaço de tempo razoável, o retorno dos bilhões que estão investindo agora”.

Apesar do design feito especificamente para o i3 da BMW, seu alcance, desempenho e espaço interior são muito semelhantes aos do Classe B, disse Zetsche. “Mas nosso esforço foi drasticamente menor”.

BMW responde que criar um carro elétrico novo tem suas vantagens em relação a readaptar modelos existentes. “O peso, a dirigibilidade e o alcance estão nas proporções ideais”, disse Mathias Schmidt, porta-voz da empresa com sede em Munique.

Os consumidores começarão a decidir quando o Classe B livre de emissões chegar às concessionárias alemãs, em 29 de novembro. Ele vem com um alcance de 200 quilômetros e a preços similares aos do i3, disse Zetsche. O carro da BMW custa cerca de 35.000 euros (US$ 43.766) na Alemanha e de US$ 41.350 nos EUA, onde uma versão do Classe B elétrico está disponível em determinados estados desde meados de julho. Um lançamento mais amplo está programado para o ano que vem.

Durante o test drive, o Classe B branco se misturou a outros carros compactos nas estradas asfaltadas e ventosas da ilha.

Embora pese cerca de 200 quilos a mais que o Classe B convencional a gasolina ou a diesel, por causa de seu conjunto de baterias, o carro acelera rapidamente, graças ao poder instantâneo do motor elétrico. Ele é quase silencioso, exceto por um som artificial que a Mercedes acrescentou para alertar os pedestres a velocidades acima de 30 quilômetros por hora. O painel central atualizava continuamente o alcance do carro, o nível de carga e o fluxo de energia.

A estratégia mais arriscada da BMW pode acabar compensando. O i3, da maior fabricante de carros de luxo do mundo, provavelmente terá uma proporção de venda de dois para um em relação ao Classe B elétrico, segundo estimativas da IHS Automotive. E a consultoria conta apenas os veículos movidos exclusivamente a bateria. As encomendas de modelos com gerador integrado movido a gasolina, para estender o alcance do modelo, ampliarão as vendas do i3 para 32.400, contra 6.400 exemplares do Classe B, segundo a IHS.

O motivo pode ser o fato de que as pessoas que compram veículos elétricos, na verdade, desejam que os outros motoristas notem sua consciência ambiental, disse Anjan Hemanth Kumar, analista da Frost Sullivan Inc. em Bangalore, Índia.

“Para o cliente, é muito importante ter um veículo elétrico adequado com uma identidade única para que ele possa se diferenciar”, disse Kumar. “Você quer se exibir, assim como quem dirige uma Ferrari quer se exibir”.

Fonte: Infomoney

Nenhum comentário:

Mais Vistos