Carro elétrico sonhado pela Apple vai trazer pesadelos ao setor automobilístico

CEO da Apple - Tim Cook

A Apple nomeou algumas centenas de pessoas, inclusive novas contratações provenientes do setor automobilístico, para um projeto secreto responsável pela etapa inicial do desenvolvimento de um veículo elétrico parecido com uma minivan

Antes de decidir levar adiante seu programo Project Titan e desenvolver um carro elétrico, a Apple Inc. poderia analisar a lista de desafios enfrentados pelos que estão na indústria automobilística nos dias de hoje.

A Apple nomeou algumas centenas de pessoas, inclusive novas contratações provenientes do setor automobilístico, para um projeto secreto responsável pela etapa inicial do desenvolvimento de um veículo elétrico parecido com uma minivan. Esse carro concorreria com a Tesla Motors Inc. e com os carros elétricos e híbridos vendidos pela Nissan Motor Corp., pela General Motors Co., pela Ford Motor Co. e por outras companhias.

Caso Titan de fato produza um carro, a Apple precisa estar pronta para desafios como as crescentes regras de segurança e as regulamentações ambientais para os veículos sem emissão, que estão sempre mudando. Além disso, não é possível esquecer que os carros elétricos têm margens estreitas e costumam gerar perdas, algo que os acionistas da Apple, que adoram lucros, raramente vivenciaram.

“Eles não estavam no setor de telefonia e conquistaram o sucesso, mas a dificuldade no setor automobilístico será duas vezes maior”, disse Erik Gordon, professor da Faculdade de Administração Ross, da Universidade de Michigan. “É fácil assinar um contrato com uma empresa da China para fazer a montagem simples de um telefone, mas não é tão fácil fazer isso para a montagem complexa dos carros”.

A Apple tem como vantagem uma reserva de US$ 178 bilhões em dinheiro. A cifra equivale a seis vezes o que a Volkswagen AG tem em seus livros e a sete vezes o que a GM tem no bolso, de acordo com dados da Bloomberg. De fato, só essa reserva financeira poderia financiar o orçamento de gastos de capital da GM durante 20 anos.

É provável que a companhia esteja analisando diversas opções e tenha mais possibilidades de engenhar o software que controla os carros autônomos ou de repensar o controle humano sobre os carros atuais, disse Jon Bereisa, CEO da empresa de consultoria Auto Lectrification LLC, que trabalhou no programa Chevy Volt.

“Não deixa de ser um carro, e isso é muito novo para eles”, disse Bereisa, em entrevista por telefone. “Com os carros autônomos, haverá mais software, mais computação e mais controles, e parte disso até poderia ficar na nuvem. Eles poderiam trabalhar com as empresas automobilísticas para que elas incluam a Apple nos carros”.

Gastar dinheiro
A fabricante do iPhone, com sede em Cupertino, Califórnia, poderia estar sondando o setor automobilístico simplesmente porque precisa encontrar um modo de gastar dinheiro, disse Sam Jaffe, analista sênior de pesquisa da Navigant Consulting Inc., em entrevista por telefone.

Embora os carros elétricos talvez sejam a onda do futuro, sem dúvida eles são um negócio difícil atualmente.

“Para a Apple, o problema não é pagar para armar o carro, é obter um retorno do investimento”, disse Gordon. “Os acionistas e analistas vão detestar as margens e a distração. Eles nem sequer são os precursores descolados, pois estão atrás da Tesla e do Google”.

Há outro grande desafio: trata-se de um carro. Depois de muitas décadas dedicadas à fabricação de automóveis, até nomes consagrados do setor automobilístico, como Toyota e GM, tropeçaram na tarefa aparentemente simples de eliminar os defeitos de segurança de todos os seus carros.

Regulamentações governamentais
Lidar com as regras de segurança e investigações do governo se tornou mais caro e difícil. A Secretaria Nacional de Segurança no Tráfego Rodoviário dos EUA está analisando mais minunciosamente os veículos e as questões de segurança. Embora a qualidade dos automóveis tenha melhorado regularmente no setor, no ano passado houve um número recorde de recalls, pois os fabricantes estão enfrentando regulamentações de segurança mais estritas.

Então, por que a Apple se meteria aí? A empresa poderia simplesmente usar sua maestria na interação homem-máquina para fabricar controles de direção ou tecnologias para veículos autônomos, disse Eric Noble, presidente da The CarLab, empresa de consultoria automotiva. Assim, ela poderia lucrar com seus conhecimentos sem enfrentar a dor de cabeça de realmente ser uma fabricante de carros, disse ele.

Elon Musk, CEO e um dos fundadores da Tesla, tem outra hipótese para explicar o projeto automotivo da Apple. Na apresentação de resultados da Tesla, antes que as notícias sobre o Project Titan viessem a público, ele disse que a Apple está “ficando sem ideia de como gastar dinheiro. Eles gastam perdulariamente e, mesmo assim, não conseguem gastar o suficiente”.

Fonte: Infomoney

Nenhum comentário:

Mais Vistos