Como o Tesla Model 3 pode conquistar o público de luxo de entrada

O Model S já é uma "pechincha", mas a empresa de Elon Musk agora aposta em outro consumidor 

Tesla Model 3 (Conceito)

O que acontecerá quando o preço dos carros elétricos for menor que o dos concorrentes movidos a gasolina? Essa é a pergunta que a Tesla Motors quer responder com seu Model 3, que terá um preço de tabela de US$ 35.000 em seu lançamento, no dia 31 de março. Mas para responder não precisamos esperar o Model 3 sair à venda, porque a Tesla já tem um veículo elétrico barato com o qual aprender: o Model S.

É possível que você não ache barato um sedã de US$ 70.000. O preço não inclui nem sequer os milhares de dólares em recursos adicionais adquiridos pela maioria dos clientes da Tesla. Mas dentro dessa classe de concorrência -- veículos de luxo premium de grande porte --, o Model S é uma pechincha. É mais rápido, mais seguro e, sob vários aspectos, mais conveniente que seus elegantes pares queimadores de combustível. Em menos de quatro anos o modelo se transformou no veículo de luxo de grande porte mais vendido dos EUA, já superando em vendas opções top de linha da Mercedes-Benz, da BMW e da Audi.

O Model 3 foi desenvolvido para replicar seu sucesso em uma classe muito maior de carro: o luxo de nível de entrada (também conhecida no setor como “executivo compacto”). Esse grupo atualmente é liderado pelo BMW Série 3 e pelo Mercedes-Benz Classe C. O CEO da Tesla, Elon Musk, comparou o Model 3 em tamanho ao Audi A4, um sedã de cinco assentos que dá uma sensação de maior espaço do que alguns pares compactos. Para que o mais novo Tesla domine o segmento de executivos compactos com a mesma margem mantida pelo Model S no campo do luxo de grande porte seria necessário vender quase 170.000 unidades por ano nos EUA.

Os analistas têm se mostrado céticos em relação ao lançamento da próxima geração de carros elétricos em meio à extensa queda nos preços do petróleo, que começou em 2014. Os preços da gasolina nos EUA foram mantidos abaixo de US$ 2 por galão (US$ 0,52 por litro) para todo o ano de 2016 e a recuperação para patamares mais elevados deverá ser longa e lenta. Isso poderia reduzir substancialmente a demanda por veículos elétricos que competem com carros compactos populares como o Ford Focus, o Chevrolet Cruz e o Honda Civic -- todos custando menos de US$ 22.000 e desfrutando de vendas anuais nos EUA de mais de 200.000 unidades por ano.

Mas no mercado de luxo de nível de entrada a gasolina barata não deveria ser um grande obstáculo. O Model 3 será um dos carros mais acessíveis dessa classe, mesmo antes de contar com incentivos do governo para a aquisição de carros elétricos e economia de gasolina. Se o Model 3, que custa US$ 35.000, tiver parte das características de desempenho e design que se tornaram marca registrada da Tesla, a economia de gasolina será apenas outro detalhe no folheto. Logo saberemos mais.

O sedã Model S redefiniu o conceito de carro elétrico para o consumidor americano. O veículo vai de 0 a 60 milhas por hora (96 km/h) em apenas 2,6 segundos -- mais rapidamente do que a maioria dos supercarros mais caros do mundo, incluindo Lamborghinis, Ferraris, Porsches e McLarens. Sem motor na frente, ele tem uma enorme zona de absorção de impacto e as classificações de segurança mais elevadas entre todos os carros que rodam por aí. Com a autonomia totalmente elétrica de 300 milhas (482 km) por recarga, a maioria dos motoristas nunca precisará de energia fora da garagem.

Existe também a possibilidade de que os recursos de piloto automático da Tesla, líderes do setor, sejam estendidos à massa no Model 3.

O Model 3 será revelado no estúdio de design da Tesla, em Hawthorne, Califórnia, em 31 de março. As primeiras entregas estão programadas para o ano que vem.

Fonte: InfoMoney

Nenhum comentário:

Mais Vistos