Após 'dieselgate' e cortes, Volks lança plano para ser líder de carros elétricos

Marca quer vender 1 milhão de carros elétricos por ano em 2025. Na semana passada, CEO anunciou corte de 30 mil funcionários.

Volkswagen ID Concept

A Volkswagen quer se transformar na líder mundial dos carros elétricos até 2025, declarou nesta terça-feira (22) Herbert Diess, presidente da marca, que tenta virar a página do escândalo dos motores a diesel adulterados, o chamado "dieselgate".

Na última sexta-feira (18), o executivo antecipou parte do plano de recuperação da marca, que inclui redução de custos e corte de 30 mil postos de trabalho no mundo, sendo que 5 mil são no Brasil.

"Em 2025, queremos vender um milhão de carros elétricos por ano e também queremos ser os líderes globais no mercado da eletromobilidade", afirmou Diess na apresentação dos planos futuros da marca.

Parte desse plano é baseada no modelo ID Concept, apresentado no Salão de Paris, em outubro. A fabricante afirmou que o veículo elétrico deve te rpreço próximo ao de um Golf a diesel na Europa, quando for lançado em 2020.

"Como uma montadora de grande volume, pretendemos ter um papel importante na ruptura do carro elétrico. Não vamos mirar em carros de nicho, mas no coração do mercado automotivo - com uma ofensiva de SUV no primeiro estágio e uma onda de eletrificação no segundo estágio", afirmou Diess.

A estratégia será acompanhada de uma reorganização estrutural de seus executivos, com foco em "agilidade, forte espírito empreendedor, uma cultura de maior discussão sobre transparência, menos hierarquias e modelos mais flexíveis de trabalho".

Regiões
A Volkswagen quer "conquistar" os Estados Unidos, principalmente no segmento de sedãs grandes e SUVs. O primeiro passo será o Atlas, apresentado no final de outubro. Capaz de levar até 7 pessoas, o utilitário será produzido na fábrica de Chattanooga, no Tennessee.

Já para o Brasil, e outros mercados da América do Sul, Rússia e Índia, a fabricante afirmou que "pretende desenvolver o segmento mais econômico".

No Salão do Automóvel de São Paulo, o presidente regional da Volkswagen, David Powels, afirmou que a empresa investirá R$ 7 bilhões no Brasil até 2020 para atualizar suas fábricas e produzir uma nova família de carros compactos, que inclui um novo SUV.

"Nos últimos anos não tivemos um plano de sucesso nos EUA e também estamos perdendo terreno para rivais no Brasil e na Índia. Em parte, também perdemos algumas tendências de mercado, sobretudo o 'boom' de SUVs", afirmou Diess, que era da BMW e foi para a Volkswagen em julho de 2015.

Fonte: Auto Esporte

Nenhum comentário:

Mais Vistos